Dente-de-leão - Escritora B. Pellizzer

quarta-feira, 14 de julho de 2021

Dente-de-leão


Às vezes eu esqueço o quanto você me faz bem. 

Vagabundeando pela vida como se de ti não precisasse, amanheço aqui e ali, invento realidades em que você não está. Então você me vem à lembrança; e eu penso no teu ombro largo, nos teus olhos que não se apartam de mim, no cheiro bom que sai de entre as telas da tua camisa, no oco entre os botões, aquele lugarzinho em que posso entrever tua pele quase como se pudesse senti-la. 

É quando a verdade me acerta. 

Atropela-me como o vento atropela os dentes-de-leão no campo: descabela-me, leva uma parte de mim consigo.

Talvez não te precise, mas sim te quero.

Quero tanto, que é necessidade. 


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário