Meus Livros - Escritora B. Pellizzer

Meus Livros

Capa do livro A Balada da Bandoleira
"A Balada da Bandoleira: High Noon" foi o primeiro — e até agora único — livro que escrevi em parceria e foi, também, uma experiência incrível. Junto com a Fernanda W. Borges, eu aprendi, cresci, chorei, me diverti, odiei, enfim, uma vida inteira vivi enquanto ajudei a dar vida a vários personagens.

A Balada da Bandoleira conta a história de Marysol e Ruan, dois inimigos cuja guerra deixará a fronteira de seu universo e chegará ao mundo dos humanos. É um faroeste moderno que mistura os duelos debaixo do sol do meio-dia com magia e ciência. 
Gêneros: Fantasia e Ficção Científica



"Se eu fosse um anjo, cairia por você" é, de longe, minha obra mais polêmica. Eu juro que não sei por quê. Remoir é um demônio bem "gente boa", um diabão feliz, que gosta do inferno e de torturar pessoas. 
Coisas normais para um demônio.
E ele tava lá de boas, na vida infernal dele, quando apareceu a mulher humana que lhe tirou o sossego e a paz, e o fez questionar sua felicidade. Sabem o que dizem, né? "Somente se sabe que um amor é verdadeiro, quando dói tanto como mordidas na alma". Ok, ok... eu não sei se, de verdade, dizem isso, mas foi assim que Remoir sentiu.
Não havia tortura no inferno que o tivesse feito sofrer tanto quanto aquela humana. 
Ela lhe tirou a paz, a tranquilidade, a alegria e a fé.




"Duas Vidas: Encontro" foi meu primeiro livro. Nasceu para ser romance e de volume único.  Falhou miseravelmente nos dois intentos. 
O que era para ser romance virou drama, o que gerou um final não esperado, o que criou revolta que, consequentemente, me fez escrever outros livros porque eu gosto de ser gostada.
Me processem. 
Enfim, Duas Vidas: Encontro conta a história do encontro entre Isabel e Rogério, duas pessoas que, aparentemente, não têm nada em comum. Tem tudo o que um bom romance deve ter: brigas, reconciliações, encontros, desencontros, reviravoltas (mais até do que o recomendado), conflitos pessoais, ciúmes, sexo (bem menos do que na primeira versão, está bem soft), enfim, é um livro para quem gosta de se sentar e ler.
Prometo que você vai gostar da história.
E você pode mandar um email para betti.pellizzer@gmail.com para me xingar por causa do final. Manda ver! Eu aguento. 



"Duas Vidas: Os dois lados do véu" foi o livro que eu escrevi para limpar minha barra com os leitores de Duas Vidas: Encontro e tentar consertar o final.

AHAHAHAHAHAHAHA

Passa-se dez anos depois do final do primeiro livro e traz uma Isabel mais introspectiva, madura, meio que deprimida, bem chatinha até. É a Isabel necessária para que haja a transição, e o romance que foi Encontro se transforme na série Duas Vidas. 




"Por que não respondi àquele e-mail?" é uma novelinha feita para chorar. Sabe quando você tá mal, triste, a fim de uma cerveja gelada e música ruim e tá a fim de terminar de ferrar com tudo?

Este é o livro certo pra você, meu amigo, minha amiga. 

Se o que você quer é ter uma desculpa pra chorar e colocar essa coisa toda pra fora, leia este livro! 

É a jornada comum e sem nenhuma outra guerra que não a que se trava contra si mesma de uma mulher enquanto vai para o enterro do amor de sua vida. Mergulhos em lembranças, arrependimentos, suposições sobre um futuro que nunca irá acontecer.


























Nenhum comentário:

Postar um comentário